ESTUDANTE DE DIREITO DA UEFS É VÍTIMA DE RACISMO EM AEROPORTO DE SALVADOR


REDAÇÃO 



Na última quinta-feira (20), um estudante de Direito da UEFS, Lucas Conceição, foi vítima de uma situação racista e, portanto, dolorosa no Aeroporto Internacional de Salvador. Lucas, que é estudante do oitavo semestre, viajou para São Paulo para resolver questões documentais relacionadas ao concurso que havia feito e foi aprovado. Após retornar da capital paulista, o estudante foi acusado por um homem de ter furtado sua bolsa, tendo sido agredido. O caso foi direcionado a 12ª Delegacia de Salvador, localizada em Itapoã.

Já na delegacia, o sujeito que acusou Lucas reconheceu o erro, afirmando que tudo não “passou de um mal-entendido”, e que “se confundiu, pois as bolsas eram muito parecidas”. Mesmo com todas as evidências, o delegado Nilton Tormes resolveu seguir com a acusação, prendendo o estudante de direito e afirmando que só o soltaria mediante pagamento de fiança de dois salários mínimos, o que foi feito por colegas de curso e um policial militar.

A situação exposta, assim como muitas no Brasil, é a evidência real de como o racismo age diariamente na vida das pessoas negras, não apenas na exposição, mas na violência que oprime, exclui e mata todos os dias. O racismo estrutural, mesmo 130 anos da chamada Abolição da Escravidão, segue sendo parte da construção social, cultural e política do país, mesmo que muita gente afirme vivermos uma “democracia racial”, a diferença entre brancos e negros está visível nos lugares que visitamos, passamos e em como os aparatos enxergam inimigos e aliados.

Direito, por ser um curso tratado de forma mais elitizada, acaba sendo um curso “para pessoas brancas” e qualquer negro que esteja é encarado como um corpo estranho. Políticas de cotas são responsáveis por vencer barreiras como estas e apresentar uma transformação necessária na sua composição. Infelizmente as políticas de ações afirmativas seguem sendo atacadas, distorcidas publicamente e fraudadas como aconteceu de na UEFS, no mesmo dia do episódio sofrido pelo estudante de direito, um estudante de medicina, acusado de fraudar certificação quilombola, colar grau, mesmo sobre protestos intensos de outros estudantes da instituição.

É importantíssimo que a justiça seja feita, que as autoridades busquem punição e exijam retratação do delegado em questão. Seguiremos acompanhando o desenrolar dos fatos.

ESTUDANTE DE DIREITO DA UEFS É VÍTIMA DE RACISMO EM AEROPORTO DE SALVADOR ESTUDANTE DE DIREITO DA UEFS É VÍTIMA DE RACISMO EM AEROPORTO DE SALVADOR Reviewed by Rede Idea Chek on dezembro 22, 2018 Rating: 5