POR QUE NOSSOS LUTADORES SOCIAIS ESTÃO EM PERIGO?

Foto retirada do Jornal O Globo

No dia 12 de março deste ano, Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro, foi executada dentro de seu carro onde estava com seu motorista Anderson e uma de suas assessoras, após sair de um evento político. Marielle e Anderson foram assassinados! Nove meses após, o crime segue sem resoluções concretas, mas os avanços nas investigações apontam que já existem grandes probabilidades dos assassinos e mandantes serem revelados em breve. Porém, por mais que o crime chegue a uma resolução investigativa e quiçá jurídica, a vida da parlamentar e de seu motorista não serão trazidas de volta e a dor da família, amigos e companheiros seguirá presente.

O fato mobilizou pessoas no país inteiro, e no primeiro mês, ruas e praças foram tomadas de forte mobilização exigindo justiça. Várias figuras públicas, artistas, programas de TV, jornais do Brasil e de fora do país se manifestaram, e a Anistia Internacional exigiu do governo transparência e rapidez nas investigações. Tudo isso foi muito importante e peça chave para que o caso não fosse esquecido e o legado político e social de Marielle Franco apagado.

Nessa quinta-feira (13), o Jornal O Globo publicou matéria em que denunciava a articulação de um plano para matar o Deputado Estadual, e eleito Federal, Marcelo Freixo, também do Rio de Janeiro. O plano foi interceptado pela polícia civil e indicava a trama para o próximo final de semana. Freixo foi o deputado que mobilizou uma CPI de investigação de milícias anos atrás (muitos devem lembrar do Deputado Fraga do filme Tropa de Elite, ao qual era uma “representação” do Freixo), e junto com Marielle sempre se colocou na luta por justiça social e no combate às milícias e à corrupção política no Rio de Janeiro. A situação levanta uma necessidade urgente e uma pergunta necessária: POR QUE NOSSOS LUTADORES SOCIAIS ESTÃO EM PERIGO?

Segundo relatório da ONG britânica Global Witness, divulgado em julho deste ano, o Brasil lidera o ranking de países onde mais se matam ativistas e lutadores sociais, sendo conflitos ambientais e morte de parlamentares dois dos maiores efeitos da violência absurda contra àqueles e àquelas que lutam por um mundo melhor. Só em 2017, 57 ativistas ambientais foram assassinados. O enfrentamento a empresários do agronegócio, a líderes milicianos, a policiais e políticos corruptos tem custado a vida de muita gente. Como se não bastasse todo esse contexto de um país vinculado ainda a sua história colonial, em 2018 as eleições brasileiras elegeram com presidente um candidato que construiu seu discurso atrelado ao ódio aos movimentos sociais e militantes de esquerda e que prometeu “dureza” para a oposição, sem contar na força econômica que atribui a setores que direto e indiretamente são os principais responsáveis pela perseguição e morte de indígenas, quilombolas, juventude negra, LGBT’s, Trabalhadores Sem-Terra, etc. No sábado passado, dois integrantes do MST foram covardemente assassinados por encapuzados (Veja mais em: DOIS INTEGRANTES DO MST SÃO EXECUTADOS EM ACAMPAMENTO NA PARAÍBA). Quase todos os dias, os nossos morrem.

A barbárie anunciada faz parte de um sistema que não quer ser mudado e reage à bala aos sonhos de transformação e denúncia. Marcelo Freixo está ameaçado. Parlamentares da oposição de esquerda estão ameaçados. Militantes de esquerda estão ameaçados. Sem-Tetos, Sem-Terras, Indígenas, quilombolas e comunidades originárias seguem ainda mais ameaçadas. Nossa liberdade segue sendo ameaçada. Precisamos de um plano político que não se concentre apenas na defesa, mas que se coloque na linha de avanço de um projeto amplo e radical de transformação, que não deixe que as vidas dos nossos sejam tratadas como meros objetos descartáveis e que faça com que olhemos para os movimentos populares com a necessidade lógica e histórica de mudar tudo para a melhor e não como inimigos.

POR QUE NOSSOS LUTADORES SOCIAIS ESTÃO EM PERIGO? POR QUE NOSSOS LUTADORES SOCIAIS ESTÃO EM PERIGO? Reviewed by Rede Idea Chek on dezembro 13, 2018 Rating: 5