A COR ESCONDE A LARANJA

Por Iago Gomes - Professor, Militante Político e Redator do Blog Idea Chek.



Nesta última quinta-feira (03), as redes foram tomadas de memes em torno da frase polêmica e ideológica da ministra Damares que afirmou “estarmos na era onde meninos usam azul e meninas rosa”. A afirmação da ministra mexe com questões voltadas à discussão de gênero, principalmente às pessoas T (Travestis, Transexuais e Transgêneros), já que nas profundezas da frase maldita ela aplicou suas posições ideológicas-religiosas.

Não é de hoje que figuras ligadas a Bolsonaro, e o próprio belzebu, atacam loucamente a população LGBT afirmando existir uma “ideologia de gênero”, transformando avanços em teorias conspiratórias e levas de FakeNews, mas desconsiderando a opressão religiosa sob as mulheres como “ideologia”. Enfim, minhas maiores dúvidas foram porque esse assunto ganhou mais peso entre o ativismo e usuários de redes sociais do que, por exemplo, as primeiras medidas tomadas pelo governo, principalmente as mudanças na demarcação de terras indígenas e quilombolas, e os primeiros passos políticos de articulação como a nova presidência da Câmara de Deputados e a Reforma da Previdência.

Vocês acham mesmo que os marqueteiros e articuladores do atual presidente são inocentes ou dão passos em falso? Eu duvido muito! As pérolas nas redes sociais ganham maior atenção do que temas que exigem maior organização popular. Foi assim que Bolsonaro conseguiu distanciar os holofotes do debate econômico para o debate de costumes, com uma verdadeira rede de funcionamento via Whatsapp e grupos de Facebook que espalhavam notícias falsas como a do KitGay. Deu certo, porque boa parte da vanguarda ativista cai nesses contos e perde a força de enfrentamento para o fluxo intenso de compartilhamentos e informações pouco úteis. O racismo também contribui muito pra isso, afinal vidas indígenas e quilombolas valem quanto?

A escolha da frase polêmica incidiu justamente para horas iguais da divulgação do apoio do PSL e de Bolsonaro ao atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, apoio este que derrubou o discurso de posse do presidente da República que prometeu “fazer política nova e sem toma-lá-dá-cá”. No mesmo dia também que a esquerda lançou a candidatura de Marcelo Freixo (PSOL) para competir com Maia visando uma massificação de apoio popular, ofuscando assim um passo estratégico na disputa política do Brasil. Não morre aí, o presidente articula a votação da Nova Reforma da Previdência ainda em janeiro.

Memes são divertidos. A gente ri, quebra a chatice da internet e até o medo e os sentimentos confusos. Mas tem limites, né? A situação pede muita cautela e passos astutos num verdadeiro jogo de xadrez sob bombas-relógios. Com perdão da metáfora, mas Bolsonaro e C&A sabem lidar com o virtual, surfam muito bem na onda. São tarefas nossas:



  1. Apoiar e fortalecer a candidatura de Marcelo Freixo (PSOL) como um apoio de fora para dentro do Congresso;
  2. Organizar e preparar a resistência à Reforma da Previdência, com espaços de debate, informação, etc.;
  3. Preparar grupos e coletivos que protejam LGBTs, Mulheres, povo negro, indígena e jovem;
  4. Denunciar e recorrer a defesa dos povos tradicionais;
  5. Fazer memes com moderação.



A COR ESCONDE A LARANJA A COR ESCONDE A LARANJA Reviewed by Rede Idea Chek on janeiro 03, 2019 Rating: 5